terça-feira, 20 de julho de 2010

Si "Solidão"


Si "Solidão"


Eu quis desistir de certas coisas...

Andei sem rumo, sozinha.

Eu quis estar sozinha, foi a minha escolha.

Eu estava machucada, talvez as cicatrizes não estejam fechadas.

Olho ao redor e me sinto um pouco fora de tudo o que me cerca.

Pode ser que eu tenha me isolado.

Eu senti medo, confesso!

Quem nunca sentiu?

É uma desordem interior...

Meu olhar está distante, eu sempre estou com a mente longe.

Eu fujo para um lugar qualquer.

Me fecho.

As pessoas conversam e eu estou longe.

Acontece sem querer.

Eu me isolei.

Sofri.

Ainda estou me curando destes amores coloridos.

Entendo a solidão.

Estou me acostumando, minha nova companheira.

Caminho devagar sem atrapalhar, meus passos são curtos.

Preciso me firmar.

Sorrir o sorriso verdadeiro.

Sorrir sem lágrimas.

Deixar a vida acontecer... Devagarzinho!


Simone Leite Gava

7 comentários:

Zemarcos disse...

::: Muito lindo, Simone. E triste também. Não siga sozinha. Pelo menos virtualmente sempre tem amigos.

Rita Lavoyer disse...

Belo texto, gostoso de ser lido. Exclusividade de uma mulher transparente.

Anônimo disse...

Valeu Simone, muito belo o que escreveu! A solidão é um estado de espírito. Estamos muitas vezes sozinhos, tapando os ouvidos dos ruídos que nos encharcam do nada e às vezes estamos plenos com o silêncio calmo do proprio coração

Anônimo disse...

Esqueci, o anônimo sou eu, Smiley.

Simone Leite Gava disse...

Obrigada pelo carinho. Me deixa feliz!

jhamiltonbrito.blogspot.com disse...

Mergulhado na imensidão solitária do meu eu, de braços dados com a negritude rumo ao nada infinito...vote, to fora.Vou pro fervo. Vamu nessa?
Minina, vc gastou nesse texto. Vou recitá-lo na primeira opoetunidade. Aliás, estamos precisdando agilizarum sarauzinho, né lindona?

Anônimo disse...

Lindo! Lindo o texto. Tão realista, tão cheio de cores e sensações. Solidão, um tema que tenho vivido um pouco. Mas temos nossos escritos, nossa alma que não se entrega, nossas mãos que ainda sabem acariciar, nem que seja o vento.
Te adoro, minha amiga!
É s muito importante para mim...Não estás sozinha nunca, pois estou contigo!
Charlie Rayné