sábado, 24 de abril de 2010

Ele é BRANCO!




Ele é branco!

Minha mente anda cheia de imagem
Tirando-me a paz
Eu tento esquecer, mas as ruas são traiçoeiras e lá eu te encontro... És um passante!
Passa nesta minha vida com seu branco imaculado.
Branco de coisas boas e de bem querer...
Branco de uma alma muito boa...
Branco de pele...
Branco de cabelos de neve que me fascina... Me enlouquece.
Branco, és branco e eu Descobri sua cor...
Ela é branca... Linda demais, que atordoa meu pensamento de tanta beleza.
Não és mais transparente.
É o meu lindo branco.


Simone Leite Gava

4 comentários:

Fernando Martinez disse...

um silêncio de abandono, um silêncio da brisa, que nada precisa

jhamiltonbrito.blogspot.com disse...

Sabe, quando vc passar naquela rua traicoeira, de novo, prest'enção. Talvez o que vc enxergou branco não tenha o significado que vc percebeu. Não seria´pálido? possuidor de câs? encanecido? o espaço entre linhas tbem é branco e se ele não percebeu a distância, não o lamente. Assim como o branco é pureza, como você, é o frio, como ele. O branco tbem pode significar ausência de luta e se ele não lutou por você, que a terra lhe seja leve.

Simone Leite Gava disse...

Maravilha Brito!

♀♀ Maria Rosa Dias ♀♀ disse...

Oii, Si! Tudo bem, flor?
Espero que sim!

Belo poema! Parabéns, querida!

Comenta lá no meu blog, e e segue! Já estou te seguindo:
www.riot-vicious.blogspot.com

Mil beijos e tenha um lindo dia, Si!! ^^