domingo, 25 de novembro de 2012

Instante de um olhar

 
 
Instante de um Olhar

Em um instante meu olhar cruzou com estes olhos desconhecidos.
Olhei seus olhos com a mesma curiosidade que eu era olhada.
Sentia atraída, estremecia e deixava meu corpo reagir.
Sorria timidamente!
Que lindo e sensual.
Seus olhos buscavam o meu intensamente, eu olhava de longe.
Uma batida descompassada no meu peito sinalizava o perigo.
Sai da zona de segurança.
Eu estava ali querendo aquele olhar, sentia a atração que acontecia naquela multidão, olhar de um desconhecido.
Emoção e  confusão de um sentimento inesperado, mas real.
Me via como em um espelho, as mesmas reações, o mesmo desejo, a mesma intensidade de olhar.
Eu estava fluindo até ele através do olhar, o olhar dele estava em mim fazendo perguntas que eu queria responder.
Havia uma cumplicidade entre nós, ele desnudava a minha alma.
Eu revelava fraqueza e viajava naqueles olhos, imaginando o sabor dos beijos dele.
Ele passou por mim rapidamente e ouvi o tom daquela voz rouca e sensual.
Estremeci.
Ele me tinha em um olhar feiticeiro.
Fui presa neste momento de intensa contemplação do ser, do belo e másculo homem.
A minha feminilidade aflorava.
Ali eu me abria para ele em pétalas perfumadas, queria o toque dele, queria que sentisse o meu perfume.
Desabrochei naquele olhar.
Éramos idênticos, a mesma vontade, o mesmo desejo.
Ele era um viajante, sabia que seria passageiro aquele olhar, mas a intensidade ficou gravada neste meu coração saltitante de prazer.
Entristeci com a descoberta do final da caminhada.
Alguém toca lentamente o braço dele.
Suspiro... Ele não está sozinho...
Foi um amor momentâneo, mas real.
Eu me entreguei secretamente! Ele me olhou novamente.
Fiquei nele, entrei naquele olhar muda sem entender e me colori de amor.
Sem medo fechei meus olhos e sentia a ausência daquele olhar.
Guardei em mim aquele olhar por um longo tempo na esperança de um dia sentir o sabor dos lábios dele nos meus.
O colorido foi se perdendo...
A ausência daqueles olhos me entristecia, mas segui sem encontrar este olhar espelhado em sentimento.
Pensava nele pensando em mim...
Sorria... Coisas bobas de mulher (rsrs) mas mesmo assim eu pensava...

Simone Leite Gava

5 comentários:

HAMILTON BRITO... disse...

Se estas são coisas bobas de mulher, que sejam abençoadas todas as vezes que derem lugar a um belo texto como o seu...apesar, que poesias bonitas da sua lavra se tornaram corriqueiras.Pena que eu nao as leia mais nos saraus , como antoigamente fazia, nao por falta de poesias mas pela ausêicna de autora.

ALAOR TRISTANTE JÚNIOR disse...

Simones, na foto
entre máscaras azuis
de olhos fechados
conformados
apenas duas expressões
faciais:
com e sem chapéu
(se houvesse)
mas as duas figuras
douradas
simones
descalças
germinadas de algodão
um desejo à espera
de um olhar
(sem máscara)
mostrando todos os
sentidos.

Abraços, Alaor Tristante Júnior

Patrícia Bracale disse...

Linda foto

Anônimo disse...

Lindo Simone. Os olhares movem o mundo!

Mario Carteado disse...

Sensual sinuosa a flor da pele a bela poesia de Simone Adorei